Quando iniciar a Ortodontia Preventiva?

Muitos são os pais que chegam a uma consulta odontológica com dúvidas sobre a frequência com que os seus filhos devem visitar o dentista e sobre o momento em que devem iniciar um tratamento na boca das crianças.

De acordo com especialistas, tudo vai depender do problema a ser tratado e do tipo de tratamento ortodôntico que a criança precisa.

Dentre as opções oferecidas para as crianças está a ortodontia interceptora ou preventiva, que pode ser aplicada entre os 7 e 11 anos e que que serve para garantir o crescimento e o desenvolvimento adequado das estruturas que formam a boca, especialmente os ossos maxilar e mandíbula.

Entre as ações planejadas para o desenvolvimento correto da mandíbula, o ortodontista pode fazer expansão do maxilar, estimular ou restringir o crescimento mandibular, deixando a correção do posicionamento dental exclusivamente para quando todos os dentes permanentes já tiverem erupcionado.

Para todos os pais que têm dúvidas sobre a necessidade deste tipo de tratamento nos seus filhos, o mais importante é encontrar profissionais experientes, que farão um estudo abrangente sobre o desenvolvimento bucal dos pequenos e irão recomendar o melhor caminho para que eles cresçam com um sorriso perfeito.

fonte: Terra

Existe uma idade máxima para colocar aparelhos ortodônticos?

Danny Glover

A Ortodontia é a especialidade odontológica que estuda, previne e corrige as alterações inadequadas do posicionamento dos dentes e dos ossos maxilares. Uma das principais dúvidas entre as pessoas que se incomodam em ter dentes desalinhados, mas não tiveram tempo ou dinheiro para iniciar um tratamento anteriormente é: há um limite de idade para colocar o aparelho?

Os especialistas dizem que não há idade máxima nem prazo para iniciar o tratamento ortodôntico. O que depende de paciente para paciente é a existência de estrutura óssea para movimentar os dentes. Isso porque, conforme a idade avança, geralmente ocorre perda óssea.

Isso significa que, quanto mais jovem, mais provável que a pessoa tenha o periodonto (tecidos envolvidos na fixação do dente ao osso) saudável para iniciar a correção. Por isso, é importante ir ao dentista o quanto antes.

No entanto, existem até pessoas com mais de 50 usando aparelhos ortodônticos. Não tem jeito: só um especialista é capaz de avaliar a possibilidade de cada paciente. No caso de pessoas mais velhas que querem alinhar os dentes, um fator que deve ser considerado é a osteoporose. A doença pode comprometer e até limitar o tratamento dentário. Por isso, o paciente que possui osteoporose deve informar o problema ao dentista imediatamente.

fonte: Terra

Sinais que indicam a doença periodontal

A doença periodontal (também conhecida como gengivite ou periodontite) é uma condição progressiva e é considerada a principal causa da perda de dentes entre adultos no mundo.

Veja abaixo os quatro principais sinais desta doença:

1. Sensibilidade ou sangramento da gengiva: uma gengiva que sangra durante a escovação, ao usar o fio dental ou enquanto você come é um dos sintomas mais comuns da infecção periodontal. As toxinas que se acumulam na placa causam uma infecção bacteriana que deixa os tecidos da boca propensos ao sangramento.

2. Mau hálito: ainda que o mau hálito seja multifatorial, uma de suas causas pode ser o acúmulo de velhas partículas de alimentos que se acomodam entre os dentes e abaixo da gengiva. Estas são as que levarão à periodontite.

3. Gengiva retraída: a periodontite, quando não é tratada, pode provocar a retração da gengiva e a perda dos dentes. Neste ponto, somente uma escovação adequada não será suficiente para tratar o problema. O dano é irreversível e precisa ser avaliado por um dentista.

4. Dentes moles: quando a gengivite evolui para uma periodontite, a parte da gengiva que sustenta os dentes fica debilitada devido ao acúmulo de placa. Enquanto os tecidos ósseos acabam se danificando, os dentes se afrouxam e podem mudar de posição ou até cair.

Página 1 de 26123Última